Assumir o Nosso Macunaíma

Para fotografar o Brasil é preciso assumir o nosso Macunaíma, nossa herança caraíba, nossa estética instintiva.Ver pelas lentes de Guimarães Rosa, Lima Barreto, Euclides da Cunha, Oswald e Mario de Andrade, de Glauber Rocha e outros. O novo está aqui na mata virgem, na sabença de nosso povo. É preciso desenterrar o Brasil desmemoriado, cultuar nossas verdadeiras raízes culturais.Caçar imagens com paixão de experimentador. É uma peregrinação lenta, dolorosa, porque o fotógrafo verá uma natureza devastada, um brasileiro sucumbido, feito de fome e silêncio.Ele sabe que quanto mais se aproximar  do seu povo mais próximo estará de captar o seu caráter. A poesia e o humanismo são seus aliados. Precisa da aventura para se conhecer, precisa da adversidade para celebrar. Ao contemplar a beleza, cresce como ser humano… quanto mais rompe mato, menos sossega. O verdadeiro fotógrafo é provocador, navega entre a profecia e a loucura. Sua ambição básica é repartir belezas e transformar consciências.

One thought on “Assumir o Nosso Macunaíma

  1. Luciane Jordani

    Maravilhoso!! Sua fala sobre a bravura dos animais no enfrentamento da queimada na GN é linda

    Responder

Deixe um Comentário

<

Shopping cart